Pré-temporada 2017: 2ª semana

por Jaqueline Trevisan Pigatto

Após Valteri Bottas (Mercedes) ter feito o melhor tempo na primeira semana de testes, com 01:19.705, foi a vez do outro finlandês do grid, Kimi Räikkönen (Ferrari), marcar a volta mais rápida, não só da segunda semana, mas como de todos os dias de testes da pré-temporada, com 1:18.634.

A segunda e última semana de testes teve seus melhores tempos de cada dia marcados na parte da manhã. Teve também muitas bandeiras vermelhas, uma causada pelo próprio Räikkönen, na sexta-feira, ao entrar no antigo traçado do circuito da Catalunha.

A quinta-feira também foi dominada pela Ferrari, com o melhor tempo de Vettel: 1:19.024. A McLaren voltou a apresentar problemas e, na quinta, o novato Vandoorne conseguiu dar apenas 16 voltas na parte da tarde devido à parte elétrica de seu carro.

Os dois primeiros dias da segunda semana de testes foram de bons resultados para Felipe Massa (Williams), que fez o melhor tempo na terça-feira com 1:19.726, e o segundo melhor tempo na quarta com 1:19.420, apenas 0.110s atrás de Bottas. O primeiro dia também teve problemas na McLaren de Vandoorne e uma troca de motor foi necessária.

Assim, ao final dessa pré-temporada, os resultados são bem animadores para os fãs da Ferrari. Não só o melhor tempo foi de Räikkönen (único na casa do 1:18s), como o segundo melhor foi de Vettel. Acrescente a esse sucesso o fato de que cada um estava com pneus diferentes do outro: o finlandês cravou a melhor volta de supermacios e, Vettel, de ultramacios.

Quem chamou a atenção negativamente foi o companheiro de Felipe Massa, o canadense Lance Stroll. Após algumas batidas e inúmeras críticas do público (3 acidentes em 2 dias), o novato foi quem deu mais voltas no último dia, mostrando que está disposto a cumprir as lições de casa. Para Ross Brawn, novo diretor esportivo da categoria, a F1 precisa ficar independente de pilotos pagantes, ou seja, patrocínios, que é justamente o caso de Stroll. Enquanto isso, o chefe de desempenho da Williams, Rob Smedley, comentou que o carro desse ano é perfeito para o estilo de pilotagem do brasileiro Felipe Massa, pois é um carro parecido com os que Felipe corria há quase 10 anos atrás, bons tempos para o piloto.

A Mercedes se mostrou bem preparada mas um tanto inconsistente com os tempos na última semana. Tudo leva a crer que a briga será boa entre a atual equipe campeã e a Ferrari, que teve seu último campeonato em 2007, com Räikkönen. Apesar de Niki Lauda ter declarado que sua equipe não atingiu as metas com as atualizações do carro, nunca se sabe se a Mercedes está escondendo o jogo. Hamilton acredita que é a Ferrari quem esteja fazendo isso.

Ficam as expectativas para o GP da Austrália, onde os carros voltam a correr entre os dias 24 e 26 de março. O Corrida de F1 fará toda a cobertura dos treinos e da corrida, pelo site e pelas redes sociais. Acompanhe conosco e não deixe de fazer suas apostas. Quem vai sair na frente do campeonato? Ferrari, Mercedes, Williams? A RBR vai surpreender? E a McLaren, vai melhorar ou continuar no meio do pelotão? Aguardemos o próximo capítulo, daqui apenas 2 semanas!