[GP Inglaterra] Classificação e companheiros de equipe…

Mercedes, Williams, RBR, McLaren e outras

O primeiro adversário é o companheiro de equipe

por Júnior Ribeiro

A melhor referência para um piloto de Fórmula 1 é o seu companheiro de equipe, visto que os dois são equipados de forma bem similar e portanto tem desempenho de pista parecidos. Em contrapartida, há carros que priorizam menor desgaste de pneus, melhor rendimento de combustível, maior velocidade final etc. Assim como há pilotos que gastam mais pneus, são mais agressivos em curvas etc. A sintonia fina entre carro e piloto é que define qual dos dois companheiros de equipe se sairá melhor no decorrer do campeonato e em provas específicas. De certo modo, é justo dizer que não há diferenças gritantes entre pilotos de uma mesma equipe e que disparidades alarmantes geralmente conotam problemas no equilíbrio do carro, entre outros fatores nem sempre relacionados ao piloto.

Sendo assim, esperando que problemas nos carros não sejam uma constante, a regular imposição de um piloto sobre outro coloca o menos “favorecido” numa posição de grande pressão. Equipes como Mercedes, Williams, Red Bull e McLaren tem um histórico de maior liberdade de ação entre os ocupantes de seus cockpits, o que não acontece na Ferrari. Essa liberdade acaba favorecendo o embate interno nos times e torna o esporte mais interessante.

Por isso, contando com carros de desempenho similar e liberdade de ação, é notória a carga depositada nos ombros de pilotos como Rosberg, Ricciardo, Massa e Button, quando por alguma razão não encontram ao menos uma proximidade com seus adversários diretos.

Ricciardo 2

Logicamente, há casos bem mais e bem menos preocupantes. E nos casos acima citados a problemática ou o atenuante é ser companheiro de lendas e/ou potenciais lendas do esporte a motor. Seja como for, isso tudo contribui para um maior comprometimento com resultados a curto, médio e longo prazo.

O GP da Inglaterra

            Ainda falando dos casos acima citados, foi bem expressiva a diferença entre companheiros de equipes. Nesses casos ainda existe a pressão especial a que Rosberg está sendo submetido, pois nunca é fácil ser o adversário direto de Lewis Hamilton. No caso da Red Bull, embora tenha sido superado por Verstappen na classificação, o que não é normal, Ricciardo tem a seu favor o seu bom histórico e qualidade, o que não é discutível (tendo inclusive perturbado a vida de Vettel quando foram companheiros). Em contrapartida, o jovem Verstappen é uma promessa viva e desafiar promessas é para poucos. Nos casos de Massa e Button existe um certo alívio, pois ambos estão em final de carreira (embora não pareçam sair ao final desse campeonato) e isso faz com que ninguém espere um título mundial deles. Apesar disso, Massa sempre encontrará questionamentos, em especial por parte de seus conterrâneos. Alonso é considerado uma lenda do esporte, já Bottas é visto como uma promessa de menor valor.

Raikkonen 2

            Apesar de tudo ou por causa de tudo, o caso mais tranquilo é o da Ferrari. Kimi Räikkönen renovou para mais um ano e mesmo que isso seja considerado um demérito, visto que o modo “Kimi campeão” não parece estar ativado, essa atitude é a cara da Scuderia, especializada em ordens de equipe e favorecimento de primeiro piloto. Embora seja uma atitude criticada, não se pode questionar as atitudes da maior campeã da categoria, mesmo que ela já tenha se esquecido como se faz para ganhar um campeonato. Falando novamente de pressão dos ombros, é isso que deve estar acometendo o tetracampeão Sebastian Vettel, que usufruiu das benesses de ser o primeiro piloto, mas agoniza com estratégias erradas, falhas de equipamento e as agruras de ser a ponta da lança que é a passional Ferrari. Já o Kimi, continua o Kimi.

Rosberg

           Veja logo abaixo o resultado da Classificação de hoje, que foi marcada por uma pequena confusão por parte do controle de limite de pista, que cortou Magnussen do Q2 e depois voltou atrás da decisão, o que ocasionou uma pequena corrida de Button, favorecido pelo eventual corte de Kevin. E teve a agitação no fim do Q3, quando Hamilton teve seu tempo cortado, também por exceder os limites de pista, nada que o impedisse de marcar a pole logo após.

Inglaterra 2016 Classificação