GP dos Estados Unidos: Espetáculo

Antes, durante e depois…

Por Júnior Ribeiro

Embora certos elementos pareçam estar bem definidos (como o título do campeonato), o ano de 2017 tem sido muito agradável em outros aspectos para os fãs de Fórmula 1. Como nunca antes visto, o GP dos EUA fizeram uma apresentação magnífica nos momentos que antecedem o Hino Nacional. Com a presença do apresentador Michael Buffer, que chamou as equipes, uma a uma, cujos pilotos desfilavam sobre um tapete vermelho: um típico espetáculo americano. A entoação do Hino Nacional Americano emocionou os presentes e a muitos que assistiam a tudo aquilo.

Como sempre, o GP garantiu a presença de celebridades, sendo que quem marcou a cena foi Usain Bolt, ao dar “a bandeirada” que antecedeu a volta de apresentação. O atleta ainda marcaria o GP na entrevista pós-corrida, com irreverência e descontração.

A Prova

A prova se iniciou com a determinação dos ponteiros, Hamilton e Vettel, que disputaram a primeira curva e cujo favorecido foi o alemão. Não demorou muito e já nas voltas seguintes o líder do campeonato se tornou também o líder da prova. Ricciardo começava a dar trabalho para Bottas e Verstappen vinha fazendo uma belíssima corrida de recuperação.

Apesar do bom desempenho, Ricciardo teve de abandonar a prova e se juntou a Wehrlein e Hulkenberg que já haviam abandonado. Apesar disso, Sainz Jr, estreando pela Renault mostrou toda sua personalidade e arrojo nas curvas do circuito e com maestria defendeu e galgou algumas posições. O mesmo poderia se dizer de Ocon que, mesmo sob pressão de Perez em dado momento da corrida, permaneceu firme e conquistou a 6ª posição (duas a frente do companheiro).

Massa fez uma corrida própria, com uma estratégia ousada que parecia ameaçar suas conquistas. O brasileiro foi o último a parar, já na 30ª volta e apostou nos pneus ultramacios para o segundo stint, algo que parecia impensável, mas que surtiu os efeitos aguardados: um nono lugar.

Melhores Momentos

Vettel proporcionou grandes momentos em sua desesperada tentativa de pontuar bem, ultrapassando Bottas com ousadia na primeira curva, já no final da corrida. Quem conseguiu uma ultrapassagem belíssima também foi Verstappen sobre Raikkonen nas ultimas voltas da prova, pena ter sido considerada uma ultrapassagem ilegal, o que lhe custou +5 segundos de penalização e seu lugar no pódio.

Como dito, o piloto Sainz se mostrou muito adequado a seu novo carro, não demonstrando qualquer dificuldade em guiar as cores da Renault e fazendo saltar um sorriso de Prost (provavelmente pela aposta acertada).

Conclusão

Do ponto de vista do campeonato, Hamilton surge cada vez mais tetracampeão e a sua equipe sagrou-se tetracampeã com os pontos obtidos, consolidando ainda mais o trabalho há bastante tempo iniciado e que começou a ser colhido em 2014, com a mudança no regulamento dos motores. A Red Bull parece incomodar bastante nesse final de campeonato e partimos para o Grande Prêmio do México esperando por mais um espetáculo.