GP do Canadá – em inglês strategy, em alemão…

4 Equipes e 3 Motores

por Júnior Ribeiro

A Mercedes chegou como favorita, mas ainda assim era esperada alguma reação da Ferrari, já que o motor Renault não conseguiria impulsionar a RBR até a vitória. E a largada já começou assim: reação da Ferrari e um suave toque entre companheiros de Mercedes. Com o toque, Rosberg perdeu algumas posições e teve que recomeçar a batalhar a partir do décimo.

A Ferrari de Vettel, que saltou com consistência para a primeira posição, demonstrou aptidão para desafiar a Mercedes e começou a abrir na primeira posição, o que foi minimizado pelo erro de Vettel na curva antes do Muro dos Campeões que o obrigou a seguir reto. O piloto alemão então abre os serviços de boxes bem cedo, na volta 12 e, numa estratégia não compreendida, coloca os pneus supermacios. A estratégia de duas paradas foi muito questionada e a esperança de briga ficaria pro final, quando Vettel teria pneus novos e Hamilton, com apenas uma parada, estaria com pneus muito desgastados. De fato, a situação aconteceu, mas a briga não. Vettel lutou e mesmo conseguindo manter um ritmo forte e tirando preciosos segundos de Hamilton não conseguiu brigar e nem colocar a Ferrari no ponto mais alto do pódio.

Williams

            O GP do Canadá definitivamente não é bom para o Felipe Massa e ele abandonou a corrida com problemas no motor. No entanto, seu companheiro de equipe não tem do que reclamar, já que foi agraciado com mais um pódio nesta pista que favorece a Williams. Embora não tenha promovido grandes ultrapassagens, Bottas resistiu firmemente a muitas investidas, em especial às de Rosberg. Com a conquista, o piloto finlandês supera Massa no campeonato, que até então era o único a pontuar em todas as etapas do presente campeonato.

Red Bull

            Por mais que seja a terceira força do campeonato, brigando para ser a segunda, a pista não favorece o motor Renault e por isso era esperado uma participação mais modesta. Mesmo assim, Verstappen demonstrou muita personalidade, desobedecendo positivamente a uma ordem de equipe: andou mais rápido ao invés de ceder posição. Max Verstappen protagonizou os melhores momentos do fim da corrida, ao segurar com muita categoria o atual líder do campeonato.

Os Britânicos e os Alemães

Dois alemães queriam muito a vitória de hoje, mas a estratégia e o carro do britânico mostraram-se mais acertados. A corrida não foi favorável a Rosberg, que, além do toque que o fez perder posições, teve uma pequena deflação de pneu, sendo obrigado a fazer mais um pitstop, sem contar os alarmes em seu carro que indicavam algum problema. Temos ainda que mencionar a presença aterradora de Bottas e Verstappen em seu caminho, que insistiram em não deixá-lo passar. O outro alemão, Sebastian Vettel, tinha uma estratégia curiosa e potencialmente boa, caso não estivesse tentando jogar contra o favorito do dia. E finalmente temos Lewis Hamilton, que teve um início de ano difícil e está vendo a absurda diferença que o separava do líder se desmanchar rapidamente. Os britânicos têm muito mais motivos para comemorar hoje, mesmo com a alemã Mercedes em primeiro e a britânica Williams em terceiro.

Resumo do Dia

Não foi a corrida mais animada do ano, mas foi uma das que mais proporcionou a briga entre equipes diferentes, o que é muito positivo para a Fórmula 1. Como reflexo disso, tivemos um pódio com 3 equipes e 2 motores.

Veja abaixo o resultado da corrida.

Canadá 2016 Corrida

Veja como ficou o campeonato após o GP do Canadá. E aí, animados para a estreia de Azerbaijão na Fórmula 1?

Driver Standings