GP Brasil – 43 Anos

Fittipaldi’s, Pace, Bueno e muito mais Brasil

 

Embora a maioria esteja ansiosa pelo início da pré-temporada de 2016, em 22 de fevereiro, e ainda mais ansiosa pelos treinos livres para o GP da Austrália, a história merece ser contada e reverenciada. Há 43 anos era disputado, em Interlagos, o primeiro Grande Prêmio Oficial do Brasil de Fórmula 1. Vale lembrar que a primeira edição do GP do Brasil foi em 1972, quando o argentino Carlos Reutemann venceu, no entanto esse GP não fazia parte do calendário oficial e somente em 1973 o Brasil sediou um GP Oficial da Categoria Máxima do Automobilismo.

O Grande Prêmio do Brasil de 1973

Quatro brasileiros enfileiraram naquele GP: Emerson Fittipaldi, Wilson Fittipaldi Jr, José Carlos Pace e Luiz Pereira Bueno. O ano anterior já havia preparado o terreno para um grande espetáculo e Emerson Fittipaldi largaria em 2º. Num calor tipicamente brasileiro, Emmo conseguiu levar sua Lotus ao topo do pódio, com Jackie Stewart e Denny Hulme em 2º e 3º lugares respectivamente. Wilsinho e Pace não finalizaram a corrida e Luiz Bueno finalizou aquele que seria o único GP de sua carreira na F1 em 12º.

Nesse dia, 11 de fevereiro de 1973, o Brasil presenciou o 200º GP da Ferrari, a 8ª vitória de Emerson e 49ª vitória da Lotus. O Brasil desde o começo já fazia história.

Grandes Brasileiros no Brasil

Até hoje apenas cinco brasileiros conseguiram o feito de subir no ponto mais alto do pódio brasileiro e ao todo foram nove conquistas brasileiras, de 43 possíveis.

Wilson Fittipaldi Jr. – 1º Pódio*

Irmão de Emerson Fittipaldi e filho do radialista Wilson Fittipaldi, a história de Wilsinho remonta a paixão do brasileiro por automobilismo. Além de ter fundado a Escuderia Fittipaldi, o piloto que disputou 38 GPs na F1 também marcou história por ter conquistado o primeiro pódio brasileiro (3º lugar) na F1 em terras tupiniquins, embora fosse um GP extra-oficial em 30 de março de 1972.

*GP extra-oficial

Emerson Fittipaldi – 2 Vitórias (73 e 74)

O bicampeão Emerson Fittipaldi dispensa apresentações, tendo se tornado um sucesso na década de 70, principalmente como os títulos de 1972 e 1974 na Fórmula 1. Tal sucesso contribuiu diretamente para aumentar a visibilidade do Brasil no automobilismo internacional e para favorecer o aumento de fãs brasileiros para a Categoria Máxima do Automobilismo. O sucesso do brasileiro foi um dos fatores determinantes para a adoção do Brasil para sediar os GPs definitivamente. Emmo, como é conhecido, venceu o primeiro e o segundo GP do Brasil de Fórmula 1.

José Carlos Pace – 1 Vitória (75)

Em 1975, o Moco, segundo especialistas, estava caminhando para o auge de sua vida automobilística quando foi vítima de um acidente aéreo em 1977. Embora tivesse grande potencial, Pace venceu apenas um GP de Fórmula 1 em sua carreira na categoria, justamente o GP do Brasil, em 1975. Nesse GP Emmo ficou em 2º lugar e os dois fizeram a primeira dobradinha brasileira na F1. Ou seja, as primeiras 3 edições do Grande Prêmio caíram em mãos brasileiras, com direito a uma dobradinha.

Nelson Piquet – 2 Vitórias (83 e 86)

Outro mito que dispensa apresentações é o tricampeão Nelson Piquet. Foi o único brasileiro a vencer o GP do Brasil quando esse foi disputado no Circuito de Jacarepaguá (RJ) e conseguiu fazer isso duas vezes (1983 e 1986).

Ayrton Senna – 2 Vitórias (91 e 93)

Tido como um dos maiores pilotos de todos os tempos, senão o maior, Senna batalhou muito para conquistar o GP do Brasil pela primeira vez. Embora tenha conseguido fazer uma dobradinha com Piquet em 1986, foi em 1991, quando o GP já havia retornado para São Paulo, que Ayrton venceu, e venceu heroicamente. Com sérios problemas no câmbio, Ayrton Senna levou sua McLaren com extenuante sacrifício até o fim.

2014-03-21_54Anos_Ayrton_Senna5

Com muita dificuldade, Ayrton Senna ergue a bandeira

Felipe Massa – 2 Vitórias (06 e 08)

O quinto brasileiro a subir no ponto mais alto do pódio brasileiro pela Fórmula 1 foi Felipe Massa. Atualmente disputando pela Williams, Massa venceu o GP do Brasil duas vezes: 2006 e 2008. Em 2008 ficou muito próximo de conquistar o primeiro título mundial brasileiro desde a era Senna, mas no final da prova, na última curva, Hamilton, seu adversário direto, conseguiu efetuar uma ultrapassagem e fez com que o brasileiro conquistasse o vice-campeonato por apenas um ponto de diferença.

Os Circuitos

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 foi disputado em dois circuitos: Jacarepaguá (RJ) e Interlagos (SP), sendo que desde 1990 apenas São Paulo sediou o GP.

Interlagos

O primeiro circuito a receber esse GP foi Interlagos, que posteriormente viria a ser chamado Autódromo José Carlos Pace. Um dos poucos a ter sentido anti-horário, atualmente conta com um percurso de 4.309m, dos mais de 7900m originais. Tal redução foi feita para que o autódromo pudesse receber novamente a Fórmula 1 em 1990. Sediou a categoria de 1973 a 1977, parando em 1978 para reformas e tornando a sediar por mais 2 anos: 79 e 80.

Interlagos

Autódromo José Carlos Pace

 

Antigo traçado do Circuito de Interlagos

Antigo traçado do Circuito de Interlagos

Jacarepaguá

Tendo recebido a categoria máxima do automobilismo em 1978, Jacarepaguá voltaria a sediar o GP de 1981 a 1989. Como forma de homenagem ao único brasileiro vencedor nesse circuito, passou a ser chamado Autódromo Internacional Nelson Piquet. Contando com 5.031m de percurso, o circuito recebeu outras categorias dos esportes a motor. No entanto, com a chegada das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro, as reduções já iniciadas para os Jogos Pan-americanos culminaram com o anúncio de sua demolição para que o espaço desse lugar às novas instalações. As obras de demolição começaram em 2012 e apagaram da história o palco que recebeu as duas vitórias de Piquet, a dobradinha Piquet-Senna em 1986, as cinco vitórias de Alain Prost e muitos outros fatos que marcaram saudade.

Autódromo Internacional Nelson Piquet

Autódromo Internacional Nelson Piquet

 

Mais uma dobradinha brasileira - 1986

Mais uma dobradinha brasileira – 1986

Outras glórias foram celebradas nos autódromos brasileiros e outras conquistas importantes sem dúvida ocorreram aqui, como o segundo lugar alcançado pela Escuderia Fittipaldi em 1978. Mas nesse curto memorial ao Grande Prêmio do Brasil buscamos ilustrar um pouquinho da nossa história, demonstrando o quanto o Brasil combina com automobilismo.