[GP Austrália] Feliz Ano Novo

Fratelli d’Italia. l’Italia s’è desta…

 

por Júnior Ribeiro

Dizem que o ano só começa para o brasileiro depois do carnaval, mas para o fã de Fórmula 1 o ano só começa mesmo com o primeiro Grande Prêmio do ano.

Quem começou sofrendo foi o torcedor da casa, já que Ricciardo além de não ter marcado tempo no Q3 havia perdido 5 posições por troca de câmbio. Não bastasse isso, houve um momento de suspense com a sua largada – larga, não larga, larga dos boxes, não larga, larga, mas não termina a prova.

O Vencedor

Contando com uma perda de tempo de Hamilton após a saída dos boxes (ficou preso atrás de Verstappen), Vettel pôde desafiar a soberania da Mercedes e mostrar que a Ferrari não veio a este campeonato para fazer número.

Ultrapassagens

Ainda é cedo para reclamar, mas algo que já era previsto se mostrou ainda mais verdadeiro: é difícil seguir o carro da frente de perto, o que torna mais difícil as ultrapassagens. Não pode chamar a corrida de procissão ou carrossel, mas as trocas de posição importantes foram patrocinadas mais pela estratégia.

Massa

Chegou à posição que teoricamente era sua por direito, já que Ricciardo não estava em sua posição “natural”. Herdando a posição de Grosjean, o piloto brasileiro conseguiu cruzar a linha de chegada em sexto, fazendo a Williams fulgurar como quarta força, apesar de Lance Stroll não ter completado a prova e nem ter ameaçado pontuar.

Abandonos

Se a corrida durasse mais um pouco, o abandono também teria marcado pontos. Brincadeiras a parte, Stoffel Vandoorne foi o último a cruzar a linha de chegada em 13º. Alonso chegou a se manter na zona de pontuação, mas com suspeita de problema na suspensão e após perder duas posições, abandonou a prova na volta 50.

 

 

 

Veja como ficou o Grande Prêmio da Austrália. Até a próxima!