[GP AUSTRÁLIA] Classificação

Cd468lzUEAA_E8t.jpg large

A primeira pole do ano ficou com… Hamilton (ainda). A nova classificação se mostrou, como era esperado, mais emocionante, trazendo alguns resultados surpreendentes, apesar da principal posição acabar com o mesmo piloto dos últimos meses.  A ansiedade é constante com o cronômetro em vermelho retrocedendo ao lado do nome do piloto que logo pode cair da classificação, caso não suba sua posição. Além disso, e da saudade de rever a F1 após 4 meses, a Renault com sua pintura”amarela-Jordan” deu um ar de flashback bem agradável às transmissões televisivas. Ainda com dúvidas sobre a nova classificação? O esquema abaixo procura esclarecer:

Cd4l_zjUkAAPKio.jpg large

O treino, em seu novo formato, começou com os ânimos nervosos, mesmo antes do Q1 entrar nos minutos de eliminação. Rosberg foi andar no gramado logo no início, mas nada que causasse grande prejuízo. As posições se alteravam constantemente na tabela, com grande disputa pela primeira colocação entre Hamilton e Räikkönen. A primeira leva de eliminações, que consiste em 7 pilotos, tirou os novatos da Manor (Haryanto inclusive foi penalizado por colisão no pitlane com Grosjean durante os treinos livres, com a perda de 3 posições no grid), Gutierrez, Grosjean, Kvyat, Nasr e Ericsson, respectivamente. O sueco da Sauber perdeu sua vaga no Q2 para Palmer nos últimos segundos.

Um ansioso Nico Rosberg foi o primeiro a entrar na pista para o Q2, que logo foi dominado por seu companheiro de equipe. Nessa penúltima parte, o primeiro eliminado foi Magnussen, seguido de Palmer, Button, Alonso, Bottas,  Hulkenberg e Perez. Desses, apenas Bottas saiu sem o companheiro junto, ou seja, boas notícias para os fãs brasileiros com Massa no Q3.

Claramente esse novo sistema de eliminação é mais cruel, impedindo, por exemplo, que o piloto troque pneus ou faça alguma modificação rápida para ter novas chances até o cronômetro daquela etapa zerar. Lembra até um desespero daqueles típicos de video-games, ou uma brincadeira de “batata-quente” ou “dança das cadeiras”. Entretanto, corresponde exatamente aos pedidos de mais emoção dos fãs no mundo todo. A conversa, apesar de nova, é controversa e promete durar. Logo após sair no Q2, Jenson Button declarou para repórteres que a classificação não mudou tanto assim.

No Q3, etapa decisiva do grid, os 8 pilotos restantes brigaram arduamente. O primeiro eliminado foi o piloto da casa, Ricciardo. Em seguida, saíram Sainz, Massa e Verstappen. Restaram as Mercedes e as Ferraris, mas Räikkönen e Vettel deixaram seus carros com cerca de 4 minutos para o final, sem segundas tentativas na pista. O finlandês ficou na quarta colocação, Vettel em terceiro e Rosberg em segundo. Infelizmente, não foi nessa inauguração que ocorreu o tão esperado duelo pela pole, tendo Lewis Hamilton ainda largando na frente. Espera-se que na próxima classificação, no Bahrein, as equipes estejam mais preparadas para deixarem seus carros até o final, aumentando a competitividade.

Confira abaixo como ficou o grid de largada para o GP da Austrália*. A primeira prova do ano ocorre às 2 horas da madrugada (horário de Brasília).

Cd5JdqUUsAAWrjA.jpg large

*Haryanto largará na posição 22, devido a punição.