[GP Austrália] A nova Fórmula 1 chegou!

por Jaqueline Trevisan Pigatto

A tão esperada temporada 2018 da F1 finalmente começou. Sob a nova direção da Liberty Media, diversas foram as novidades que surgiram na Austrália, como o novo design gráfico da transmissão e a maior atenção dada ao público presente no autódromo. Para os brasileiros, alguns pontos negativos: pela primeira vez em muito tempo não temos um piloto representando o Brasil no grid; quanto a transmissão, como era de se esperar, a Rede Globo não respeitou os 10 minutos “extras” que a Liberty quis fornecer antes de cada corrida para que o torcedor em casa curtisse o clima pré-largada, e as propagandas comerciais tomaram conta. Ao menos, fizeram uma transmissão inédita simultânea do Q3 entre a Sportv e a Globo, no sábado.

Sem grid girls e com halo a parte (que matou a câmera onboard), as maiores polêmicas desse ano, vamos ao resumo do final de semana.

Os dois primeiros treinos livres foram liderados por Lewis Hamilton, o que baixou as expectativas de quem esperava novidades na hierarquia dos pilotos. Em uma continuação direta de 2017, a Mercedes saiu na frente, a RBR e a Ferrari brigaram pela segunda vaga, e a McLaren começou o ano dando novas dores de cabeça, já que Alonso só entrou ao final do TL1 por problemas de aquecimento.

A ameaça da RBR pareceu menor no TL2 quando Ricciardo sofreu a primeira punição da temporada: perdeu 3 posições por ignorar bandeira vermelha durante a sessão. A Ferrari liderou o TL3 com Vettel na frente, em condições de chuva.

A classificação, no sábado, trouxe uma ameaça maior à Mercedes por parte da Ferrari, mas não deu nem para Vettel nem para Räikkönen. Hamilton voou e conquistou a pole, sem seu companheiro de equipe ao lado, que bateu logo no início do Q3. Bottas acabou largando em 15° por ter trocado a caixa de câmbio. A grande surpresa ficou por conta das ótimas classificações da Haas e a McLaren de Alonso largando na décima posição. O grid de largada ficou assim:

A corrida teve uma largada limpa, com Räikkönen ameaçando Hamilton mas sem arriscar uma ultrapassagem. Magnussen, da Haas, fez uma excelente saída tomando o 4° lugar de Verstappen. O menino Max, aliás, cometeu alguns errinhos nas primeiras voltas. O novato Sirotkin, da Williams, protagonizou o primeiro abandono. Infelizmente Magnussen, que fazia uma ótima prova, abandonou na volta 23 com problemas no carro. Duas voltas depois, seu parceiro Grosjean também sofreu abandono, ambos logo após terem feito o pit stop. A equipe enfrentou problemas com uma das pistolas pneumáticas das trocas de pneus.

A saída de Grosjean causou um safety car virtual, o que levou vários pilotos aos boxes. Räikkönen e Hamilton já haviam parado, mas Vettel aproveitou a bandeira amarela para trocar os pneus e voltar na frente da Mercedes! Após algumas voltas, um safety car real entrou na pista e Hamilton encostou em Vettel para a relargada, que aconteceu na volta 32.

Enquanto algumas informações na tela ganharam maior destaque, como as mudanças de marchas, o número da curva sendo mostrada e até as fotos dos pilotos em foco, um grave problema da transmissão foi não mostrar quantas paradas cada piloto acumulava durante a prova.

Três brigas dominaram a parte final da prova: Vettel x Hamilton pela liderança; Ricciardo perseguindo Räikkönen pelo terceiro lugar e Verstappen x Alonso brigando pela quinta posição, situação animadora para os fãs da McLaren e do espanhol. A maior decepção foi Valtteri Bottas: o finlandês ficou totalmente apagado durante toda a corrida.

Com problemas nos pneus traseiros, Hamilton não conseguiu alcançar Vettel, que venceu. A briga entre Ricciardo e Räikkönen causou grande tensão até a última volta, mas o australiano não conseguiu seu lugar ao pódio. Apesar da grande pressão de Verstappen, Alonso manteve a ótima quinta posição.

Assim, a briga pelo penta começa com o alemão na frente. O ano promete uma rivalidade maior que nunca entre Vettel e Hamilton. Abaixo você confere o resultado final do GP australiano. A próxima corrida é no Bahrein, dia 8 de abril.