Campeão inglês, vitória alemã – GP Abu Dhabi 2015

12278768_976953692351120_632163240088278509_n

E assim termina mais uma temporada da F1. O último GP do ano não teve nenhuma grande novidade, apenas gerando especulações para a temporada 2016. As expectativas eram, como sempre, a disputa entre Rosberg e Hamilton; a corrida de recuperação de Vettel, que largava em 15°; e a briga por pontos entre os finlandeses que andaram se estranhando recentemente. Com o título já decidido, o fato de o último GP do ano valer o dobro dos pontos passou despercebido.

Com uma largada previsível, a única novidade não foi tanta novidade assim para a McLaren. Para o público (e talvez para a própria Lotus) sim, pois a culpa não era do Maldonado! E quem teve culpa? Nasr? De qualquer modo, a McLaren, sem dúvida, é quem está mais feliz pelo fim da temporada.Tivemos mais ultrapassagens do que o esperado, opondo-se ao que houve em Interlagos, onde sempre se tem uma ótima corrida e a desse ano deixou muito a desejar. Tanto é que as câmeras praticamente não mostravam as Mercedes, a ação estava quase sempre mais para trás.

É preciso mencionar a Force India, que surpreendeu desde o treino classificatório ontem, com Perez largando em 4°. Os carros evoluíram bem nos últimos tempos, e o mexicano e Hulkenberg são, ainda, pilotos promissores. Ambos merecem carros à altura de brigas com as Williams, Red Bulls, talvez até com as Ferraris, sonhando alto. E ainda nas expectativas para o próximo ano, fica Felipe Nasr, que em sua temporada de estreia fez o esperado; falta carro, mas mostrou-se arrojado sempre que teve oportunidade. Aguardemos 2016.

Por falar em Williams, os problemas nas paradas infelizmente persistem. Hoje acarretou uma punição para Bottas e
consolidou a vitória de Räikkönen sobre o promissor finlandês no campeonato. Já a Ferrari acertou nessa corrida tudo o que errou nas estratégias de Vettel ontem. Mas como nem tudo sai perfeito, prejudicaram um pit para Räikkönen, com um problema no pneu dianteiro direito. A corrida então culmina nos duelos internos que se repetiram durante todo o ano: Rosberg x Hamilton e Vettel x Räikkönen. Todos nas 4 primeiras posições. E ainda na sessão de erros, Mercedes errou com os pneus do tri-campeão ou o alemão iria mesmo segurar a vitória? Seja como for, Rosberg mereceu e a situação não era mais tão interessante para Hamilton. Fica a torcida para que Nico mantenha essa posição no próximo ano, assim a briga melhora e promete muito mais emoções.

O pódio acaba com mais do mesmo, a não ser por Räikkönen no lugar de Vettel (excelente corrida das Ferraris). Rosberg, sempre na frente quando o jogo já não vale mais. Acabou 2015, e nem ficará muita saudade. A questão agora é aguentar a ansiedade até o GP da Austrália, ou até a pré-temporada pelo menos. Hora de festas e descanso. Pena que não tem álcool no pódio para o Kimi.

Ver Resultados